Blog

BEBEDOUROS DE USO PÚBLICO : como garantir a qualidade da água e a manutenção do equipamento ?

BEBEDOUROS DE USO PÚBLICO : como garantir a qualidade da água e a manutenção do equipamento ?

1) Qual a causa mais prevalente dos problemas em bebedouros de uso público (escolas, academias, etc) ?

Bebedouros são dispensadores de água de acesso direto e freqüente dos usuários. Dessa forma, é muito comum que o próprio usuário seja o responsável pela contaminação desse ponto de consumo em decorrência de manejo inadequado como mãos sujas, acesso direto com a boca, saliva, lavagem de utensílios, etc.

2) Como agir para manter a qualidade da água dos bebedouros apropriada para o consumo humano ?

Em decorrência da observação acima, deve-se manter dois focos de atuação apara manutenção da qualidade da água dos bebedouros (em escolas, academias, cinemas, shoppings, teatros, etc): – um deles, é a educação dos usuários e o outro, obviamente, a qualidade da água em si, proveniente diretamente da rede pública, de reservatórios ou comercializada em galões.

3) Qual a recomendação para a manutenção do bebedouro ?

A experiência tem demonstrado que o bom uso dos bebedouros é uma questão cultural para a qual muitos usuários negligenciam, embora tenham as informações necessárias. Assim, o uso de pequenos cartazes com alertas sobre como manejar o bebedouro, a bica dispensadora, as válvulas e mesmo a estrutura externa, são úteis para “lembrar” o usuário de sua responsabilidade para com aquele equipamento de uso coletivo e do quanto essa responsabilidade individual pode comprometer a saúde da coletividade à qual ele mesmo pertence. Além disso, um protocolo de higienização sistemática e periódica (se possível, diariamente – dependendo da frequência de uso do bebedouro) deve ser mantido e isso pode se limitar ao uso de solução clorada embebida em papel toalha nas partes externas dos equipamentos em que o usuário tem acesso (bicas dispensadoras e válvulas de controle).

4) Qual a recomendação para a gestão da qualidade da água ?

No que diz respeito à água em si, a única possibilidade é um protocolo de gestão da qualidade da mesma através de análises periódicas. Entretanto, é preciso entender que, numa “comunidade” como uma escola, por exemplo, o bebedouro é parte da instalação hidráulica e não pode ser visto e monitorado individualmente. Existem reservatórios, eventualmente poços, copas, cozinhas, banheiros, laboratórios, etc. Cada um desses componentes da instalação deve estar sob o que chamamos de Gestão da Garantia da Qualidade da Água, pois recebem protocolos distintos de monitoramento, com análises diferentes em periodicidades diferentes. A esse processo chamamos de Plano de Amostragem. O Plano de Amostragem é específico para cada instalação/comunidade e, para ser eficientemente definido, deve ser precedido de um Inventário Hidráulico (gratuito) que servirá de base para o Plano de Amostragem (também gratuito). O Inventário Hidráulico é o levantamento de todos os pontos de provimento, reservação e consumo de água dentro da instalação e é fundamental pois os diversos pontos (provimento, reservação e consumo) têm protocolos de gestão de qualidade distintos, com análises e periodicidades diferentes para um perfeito monitoramento.

5) Como é o protocolo de higienização sistemática e periódica dos bebedouros ?

A higienização de bebedouros de uso público deve atender à seguinte rotina de trabalhos :

5.1) Diariamente, com solução clorada a 2,5 % (água sanitária) embebida em papel toalha descartável:

– higienizar as partes externas dos equipamentos, incluindo a cuba* , válvulas de acionamento e bicas dispensadoras
(*) no caso dos bebedouros de garrafões, a cuba é uma porção interna do equipamento e deve ser higienizada a cada troca de garrafão. No caso dos bebedouros de pressão ligados à rede, a cuba é a porção do equipamento onde a água que não foi consumida é recolhida.

5.2) Semestralmente

– contratar a manutenção preventiva dos equipamentos considerando a substituição de filtros** internos (se houver), substituição/higienização/desinfecção de componentes internos como válvulas e guarnições.
(**) é absolutamente contra indicada a instalação de filtro com elemento de carvão ativado na linha de água que abastece o bebedouro, isto é, todo bebedouro de pressão ligado à rede deve receber água devidamente clorada. Caso haja elemento de carvão ativado no filtro interno do bebedouro, este deve ser o último equipamento antes da bica dispensadora de água.

5.3) Sempre que o laudo de análise recomendar

– ainda que as medidas acima sejam implementadas, o controle através de análises é também recomendado, pois as análises laboratoriais são, efetivamente, a certificação de que os protocolos de manutenção estão sendo eficazes. Dessa forma, sempre que eventualmente um laudo de análise recomendar, as providências devem ser adotadas com repetição da análise para segurança do usuário e confirmação de que a não conformidade foi sanada.

6) Como é o protocolo gestão da qualidade da água utilizada em bebedouros ?

Todo bebedouro de pressão ligado à rede de abastecimento deve receber água devidamente clorada. É muito comum que dispositivos como bebedouros ou mesmo purificadores recebam água isenta de cloro e, como conseqüência, acabem sendo colonizados por bactérias, impregnados por biofilmes e se tornando dispositivos concentradores de microorganismos na água que dispensam. Dessa forma, é fundamental que se garanta que a água que abastece os bebedouros esteja devidamente clorada e isso só se consegue realizando a medição diária da concentração de cloro residual livre na água da instalação. Essa medição pode ser feita em mais de um ponto, mas a recomendação de que seja todos os dias é muito importante de ser observada, além das análises periódicas (mensais) em amostras enviadas ao laboratório. A escolha dos pontos deve observar a maior distância possível entre o reservatório (caso haja) e o ponto amostrado. Os resultados (diários) devem ser anotados em uma planilha simples, com data e valor da medição e essa planilha servirá como prontuário da qualidade da água em caso de necessidade de averiguação das razões eventuais de contaminações nos bebedouros. O sistema AGUATOTAL da COHESP disponibiliza gratuitamente uma planilha eletrônica para introdução dos dados de medição de cloro, permitindo, assim, que a qualidade da água do usuário seja monitorada remotamente, on line, durante as 24 horas do dia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *