Blog

11

Quero usar um poço caipira que está parado há muito tempo. Como faço?

Quero usar um poço caipira que está parado há muito tempo. Como faço?
Para podermos auxiliá-lo com relação ao tipo de uso possível para a água de seu “poço caipira”, precisaremos de algumas informações:
  • local em que está o poço
  • vazão aproximada da bomba do poço
  • consumo aproximado diário da água proveniente do poço
Além disso, precisaremos de um laudo de análise físico-química e bacteriológica da água do poço para recomendarmos possíveis tratamentos. De posse de todas essas informações poderemos direcioná-lo sobre os próximos passos sobre como utilizar a água de seu poço caipira. Envie as informações acima por email para contato@cohesp.com.br e solicite a análise da água de seu poço acessando www.cohesp.com.br/analisedeagua

 

Rogério Felisoni

Rogério Felisoni

Rogério Felisoni, engenheiro químico com especialização em engenharia sanitária, diretor técnico da COHESP – Controle Hídrico de São Paulo e membro da American Chemical Society, autor de inúmeras publicações sobre qualidade e tratamento de água, atuando como consultor e relator em dezenas de milhares de laudos de análises e pareceres técnicos em todo o Brasil. Ministra cursos e palestras na área de tratamento e monitoramento de qualidade de água para todos os segmentos da economia, em especial toda a rede hospitalar pública e privada.
Rogério Felisoni

    Rene Soares | 26 de agosto de 2015 | Reply

    tenho um poço de 11 metros de profundidade, fiz exames bacteriologico e acusou coliformes totais, improprio para o consumo humano.
    mais a quimica diz que tem empresas que tratam esse tipo de problema.
    o que devo fazer para poder usar a agua desse poço.(beber)?

      Rogério Felisoni
      Rogério Felisoni | 3 de setembro de 2015 | Reply

      Boa tarde Rene Soares renerene-silva@hotmail.com

      Certamente é muito simples tratar sua água e adequá-la para o consumo humano, se o problema apontado pelo seu laudo de análise for só a ocorrência de coliformes totais. Para podermos ajudá-la melhor, peço que nos envie uma cópia do seu laudo de análise para contato@cohesp.com.br e, enquanto isso, leia o conteúdo dos links abaixo:

      http://cohesp.com.br/resultado-de-minha-analise-apresentou-coliformes-totais-eu-faco/

      http://cohesp.com.br/resultado-de-minha-analise-apresentou-contagem-bacteriana-elevada-eu-faco/

      http://cohesp.com.br/resultado-de-minha-analise-recomendou-desinfeccao-cloro-eu-faco/

      http://cohesp.com.br/operacoes-especiais/desinfeccao-inteligente/

      Obrigado por sua participação

    Lidia | 17 de abril de 2016 | Reply

    Tenho Um poço no fun do da casa que uso para molhar plant as e Lamar quintal.Agora a Aguascalientes esta turva e fedida, mandaram jogqr cal virgem e nao adiantou nada. Que faço?

      Rogério Felisoni
      Rogério Felisoni | 13 de maio de 2016 | Reply

      Boa tarde Lidia,

      Para podermos opinar sobre o tratamento indicado para sua água precisamos de uma análise fisico-química e bacteriológica da mesma. Você tem ? Caso positivo, envie-nos o laudo da análise. Caso contrário e se desejar os serviços de nossos laboratórios, estamos à sua disposição.

      Obrigado por sua participação

    Acilto Da Soler | 19 de setembro de 2016 | Reply

    Professor, tenho um poço tubular de uns 40 metros de profundidade. A análise mostrou teor de ferro elevado (5,31 mg/L de ferro total) e turbidez de 9,06 uT. O ph é 5,87 e o Alumínio está no limite (0,227 mg /L). Os outros parâmetros fisico-químicos estão normais e os ensaios microbiológicos deram coliformes totais e coli zerados. Devido à seca prolongada, com riscos de desabastecimento em minha região, vou fazer o tratamento pois pretendo usá-la para abastecer um tanque de peixe caseiro para carpas ornamentais, também repor a água da piscina, na limpeza geral e lavação de roupas. Qual o melhor sistema de tratamento desta água, ou o que traz a melhor relação custo/benefício? Agradeço por disponibilizar este espaço precioso e pelo alto nível técnico de suas explicações.
    Abraço, e tenha um bom dia!
    Acilto Da Soler

      Rogério Felisoni
      Rogério Felisoni | 21 de setembro de 2016 | Reply

      Boa tarde Acilto,

      De acordo com seu relato, só teria uma dúvida a esclarecer : trata-se de um poço “novo”? Quero dizer, há qunto tempo foi perfurado ? Digo isso pois é bastante comum que poços “novos”apresentem essas características que não são próprias da água em si, mas do processo de perfuração e instalacão dos tubos metálicos e que podem produzir um residuo de ferro, zinco, manganês e até mesmo alguns silicatos e bactérias. Nesse caso, nossa recomendação é “lavar”o poço o que signica, na prática, esgotar o poço por cerca de 3 ou 4 semanas, permitindo que o mesmo se recarregue naturalmente e, então, colher nova amostra para certificar-se de qual é o perfil fisico-químico da água e que ele foi estabelecido. Caso isso já tenha sido feito, o concento desse tratamento será adicionar cloro (obrigatório), elevar o ph e filtrar. Mas o dimensionamento dessas etapas exigem uma análise mais detalhada da água para que possa ser feito adequadamente.

      Obrigado por sua participação

      admin | 21 de setembro de 2016 | Reply

      Boa tarde Acilto,

      De acordo com seu relato, só teria uma dúvida a esclarecer : trata-se de um poço “novo”? Quero dizer, há qunto tempo foi perfurado ? Digo isso pois é bastante comum que poços “novos”apresentem essas características que não são próprias da água em si, mas do processo de perfuração e instalacão dos tubos metálicos e que podem produzir um residuo de ferro, zinco, manganês e até mesmo alguns silicatos e bactérias. Nesse caso, nossa recomendação é “lavar”o poço o que signica, na prática, esgotar o poço por cerca de 3 ou 4 semanas, permitindo que o mesmo se recarregue naturalmente e, então, colher nova amostra para certificar-se de qual é o perfil fisico-químico da água e que ele foi estabelecido. Caso isso já tenha sido feito, o concento desse tratamento será adicionar cloro (obrigatório), elevar o ph e filtrar. Mas o dimensionamento dessas etapas exigem uma análise mais detalhada da água para que possa ser feito adequadamente.

      Obrigado por sua participação

    neide | 19 de outubro de 2016 | Reply

    tenho um poço, fiz analice deu um fungo? a pessoa do laboratorio disse que e da agua da chuva! posso tomar esssa agua? oque isso pode causar?

      Rogério Felisoni
      Rogério Felisoni | 19 de outubro de 2016 | Reply

      Boa tarde Neide.

      Muito estranho que a água tenha apresentado um fungo pois raramente os laboratórios analisam fungos em água, a menos que você tenha solicitado isso explicitamente. De toda forma, ainda mais estranho que a origem seja atribuída à chuva. De toda forma, caso possa nos enviar seu laudo de análise poderíamos orientá-lo melhor.

      Obrigado por sua participação

    Maria Seydel | 31 de outubro de 2016 | Reply

    Olá boa noite,
    Tenho um poço artesiano em minha residência com profundidade de 20mts para uso doméstico, gostaria de fazer uma análise fisioquímica da água e gostaria também de saber como devo proceder e o valor aproximado desse procedimento.
    Desde já agradeço pela resposta e informação.

      Rogério Felisoni
      Rogério Felisoni | 1 de novembro de 2016 | Reply

      Boa tarde Maria Seydel, tudo bem ?

      Para se fazer uma análise de água precisamos da amostra de água em nossos laboratórios. Existem duas possibilidades: ou você mesmo faz a coleta da amostra e entrega aqui em nossos laboratórios ou solicita a visita de nosso coletor. No primeiro caso, você precisará solicitar nosso kit Aquapack e a análise custará R$ 125,00, incluindo o valor do SEDEX de R$ 15,00; no segundo caso, forneça o endereço da coleta e a análise custará R$ 135,00. Para qualquer um dois casos você pode solicitar o serviço acessando http://cohesp.com.br/analise-de-agua/ e seguindo os passos da condição que melhor lhe atenda (coleta por nosso técnico ou através do kit Aquapack).

      Caso deseje um orçamento formal, solicite através desse canal para ricardo@cohesp.com.br (que nos lê em cópia)

      Obrigado por sua participação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *