Blog

O resultado de minha análise apresentou Depósito. O que eu faço?

Os resultados de análises de água para consumo humano, em geral, apresentam ensaios físico-químicos e ensaios bacteriológicos. Em geral, os laudos de análises também trazem resultados sobre parâmetros que estão associados à percepção sensorial do analista, tais como o aspecto da amostra (percepção visual). Se o aspecto de sua amostra foi descrito no laudo como presença de depósito ou algum resultado fora do estabelecido pela Portaria 2914, Ministério da Saúde, é importante você saber o seguinte:

1)  Como se avalia o aspecto da água e qual deve ser o resultado esperado?

Na realidade, o parâmetro “aspecto” em água é uma primeira abordagem sobre a amostra e traduz uma percepção sensorial do analista do laboratório que, nesse caso, é a observação da presença ou ausência de material particulado ou de outros corpos estranhos à água e que interfiram em suas características perceptíveis pela visão. O aspecto da água destinada ao consumo humano deve ser límpido e, portanto, a presença de depósito é indesejada.

2)  O ponto de onde a amostra foi colhida deve ser interditado?

Do ponto de vista da norma que estabelece os padrões de potabilidade de água para consumo humano (Portaria 2914, MS), nenhuma água deve ser consumida sem que atenda a esses referidos padrões. Em geral, os depósitos mais comuns em água destinada ao consumo humano são compostos de materiais insolúveis na água (silicatos), desprendimentos das tubulações (em geral de composição ferruginosa ou biofilmes), desprendimentos de elemento filtrante (carvão ativado, areia). A identificação da origem desses depósitos é fundamental para a providência correta e, em geral, esses depósitos não alteram o perfil químico da água em razão da insolubilidade dos mesmos.

3)  Qual a importância dos resultados referentes ao aspecto da água?

A primeira premissa para a água ser considerada potável (própria para o consumo humano) é que seja inodora (não tenha cheiro), insípida (não tenha gosto) e incolor (não tenha cor). Contudo, esses parâmetros referem-se a características elementares de uma água bruta (que não sofreu nenhum tratamento). Alguns tratamentos operados nas águas brutas podem conferir-lhes algumas características como alteração da cor, do cheiro, do gosto ou de seu aspecto à visão sem que essas alterações representem uma impropriedade ao consumo. No caso do aspecto, o desejável é que seja “límpido” . Em caso contrário, a presença de depósito deve ser investigada e nova análise realizada após a adoção da providência adequada.

4)    O que fazer quando houver presença de depósito?

Em geral, quando o laudo reportar depósito no parâmetro aspecto, haverá a recomendação automática para filtração. Isso porque a forma mais comum para se remover particulados da água é através de filtros. Contudo, antes de se adquirir e instalar algum filtro, deve-se ter a certeza de que o depósito aparente não resulta de alguma condição circunstancial como as descritas acima e que desaparecerá sem a necessidade do equipamento.

Rogério Felisoni

Rogério Felisoni

Rogério Felisoni, engenheiro químico com especialização em engenharia sanitária, diretor técnico da COHESP – Controle Hídrico de São Paulo e membro da American Chemical Society, autor de inúmeras publicações sobre qualidade e tratamento de água, atuando como consultor e relator em dezenas de milhares de laudos de análises e pareceres técnicos em todo o Brasil. Ministra cursos e palestras na área de tratamento e monitoramento de qualidade de água para todos os segmentos da economia, em especial toda a rede hospitalar pública e privada.
Rogério Felisoni

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *